O dia se espatifa: Eu não quero ter razão

sábado, 23 de janeiro de 2010

Eu não quero ter razão

Dez anos de terapia me deram um alarme interno que dispara toda vez que estou exagerando. Em qualquer coisa. Às vezes o alarme custa mais a disparar e, quando dispara, o estrago está grande demais, e o caminho de volta ao equilíbrio - ou o mais perto dele - é um pouco mais longo e mais trabalhoso.



Nos últimos dias, tenho sentido crescer a minha irritação profunda em relação a quem se leva a sério demais - a meu ver, um dos piores defeitos de qualquer ser humano. E o que mais me assusta neste caso é que essa minha irritação, de maneira contraditória, demonstra justamente que estou - justo eu - me levando mais a sério do que gostaria (ou deveria).



Por sorte - embora também acredite que nada é por acaso -, vi hoje uma entrevista que o Geneton Moraes Neto fez com o Ferreira Gullar para a Globonews. E ao relembrar o sufoco que passou no Chile durante o golpe contra Salvador Allende, o poeta e escritor - que considero uma das pessoas mais fascinantes e lúcidas do país hoje - relembrou uma frase dele que fez o alarme mencionado ali em cima disparar e interrompeu o processo de exagero antes de ele ganhar alguma força: "Eu não quero ter razão, quero ser feliz".



É isso. Obrigada, Gullar.

4 comentários:

  1. Luciana Gerbovic25/01/2010 17:10

    Também vi essa entrevista...que ficou com gosto de quero mais, quero muuuuuito mais.

    ResponderExcluir
  2. É isso!!!!!!
    Obrigada, Cássia!!!! :-))))

    ResponderExcluir
  3. O @mutantismos é aquele cara super gente boa que tinha um blog super legal, com template preto e que não existe mais? Poxa.
    Eu costumo salvar os tweets legais como "favoritos". Admiro sua paciência!
    beijos, Cássia!

    ResponderExcluir
  4. Exatamente este, Melissa. Sobre os favoritos... eu tb uso. È que se não fizer isso, acho que não posto mais por aqui ;-)

    ResponderExcluir