O dia se espatifa: Alívio

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Alívio

A melhor coisa do último capítulo de Paraíso Tropical não foi nem a atuação do Wagner Moura e do Bruno Gagliasso na hora da revelação do crime. A melhor coisa do último capítulo foi o significado por trás dele.

O fato de uma novela do Gilberto Braga ter chegado ao fim quer dizer que durante pelo menos três novelas das 9 (um Agnaldo Silva cheio de personagens gritões e inverossímeis, uma Glória Peres sem comentários e um Manoel Carlos que anda escrevendo feito Glória Peres), estou LIVRE do mundo noveleiro.

E isso é bom demais. Melhor até do que novela boa do Gilberto Braga.

*

Aliás, o que é de bom esse Wagner Moura? Digamos que se eu tivesse visto Tropa de Elite no fim de semana, teria achado fantástica a atuação dele. Ainda mais se considerarmos a consistência de boas atuações dele nos divertidos Deus é Brasileiro e Saneamento Básico e no pesado Cidade Baixa.

3 comentários:

  1. Rodrigo Celente01/10/2007 14:19

    Na minissérie JK, ele foi muito bem como o Juscelino. Aí veio o Wilker (queridinho do Aguinaldo Silva) e cagou tudo na segunda fase...

    ResponderExcluir
  2. Pois eu gosto dele desde O caminho das nuvens. Ele tá ótimo no papel!

    ResponderExcluir
  3. tô louco pra ver no cinema o tropa de elite pra conferir a sensacional performance do wagner moura. verei também, qdo estreiar, como é boa a narração dele, conduzindo todo o filme com uma tensão discreta mas pungente. acharei o filme tribom. mas isso só depois que entrar em cartaz.

    ResponderExcluir