O dia se espatifa: Duas horas e meia

sexta-feira, 9 de novembro de 2007

Duas horas e meia

Mais de duas horas e meia durou a palestra da Camille Paglia no Fronteiras do Pensamento desta quinta-feira. Duas horas e meia de slides. Duas horas e meia de fala ininterrupta. Duas horas e meia sem uma única declaração dela que eu já não tivesse ouvido/lido antes.


Só para se ter uma idéia, depois do aviso de que faltavam 10 minutos (na verdade o tempo já estava estourado, pelos meus cálculos), ela ainda falou por mais ou menos uma hora. Foi duro, mas resisti a sair na metade – coisa que metade da platéia não fez. Por causa do adiantado da hora, infelizmente não pude ficar para ouvir a mediação das queridas Alice Urbim e Cíntia Moscovich. Alguém aí ficou e pode me contar se houve alguma participação delas? Quando estava saindo, depois das duas horas e meia, ouvi que não seriam feitas perguntas, mas não sei o que houve depois.

Talvez mais adiante dê para desenvolver e falar do que achei bacana – sim, teve coisa que achei bacana. Agora não dá. Ainda estou sob o efeito das duas horas e meia do começo da noite.


*


A experiência toda, aliás, me deixou com uma grande dúvida. O que é mais indelicado: sair na metade de uma palestra ou falar por quase o dobro do tempo anunciado antes do começo – que já era 50% maior do que o tempo regulamentar do evento?

Postado por Cássia Zanon

Um comentário:

  1. Tania Carvalho04/12/2007 14:00

    Acabei de dar uma dica do teu blog no Falando. Teu texto é um must! Espero que recebas muitas visitas.
    Beijões da
    Tânia

    ResponderExcluir