O dia se espatifa: E se a minha falta de técnica dá certo?

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

E se a minha falta de técnica dá certo?

Claro que tudo pode ser aprendido nessa vida. Mas, não adianta, tenho convicção de que algumas habilidades pessoais só podem ser desenvolvidas plenamente quando são feitas naturalmente. Por isso, acredito que qualquer tentativa de enquadrá-las e botá-las num manual acaba ensinando os sem-talento a executá-las de maneira artificial, claudicante. Daí porque desconfio da eficácia de técnicas como as expostas na matéria do caderno Empregos da Zero Hora deste domingo que "ensina" a formar uma rede de contatos. As dicas têm frases meio assustadoras, como:

"De nada adianta uma agenda lotada de nomes que não poderão lhe ajudar."

"Defina o que você quer da rede e atue em função disso."

"Adquira o costume de se aproximar de pessoas estranhas." (!!!)

"Todos fazem parte de seu capital social, mas se você classificá-los de acordo com seu interesse profissional – quem pode ser mais ou menos interessante – conseguirá distribuir o tempo dedicado a elas de maneira mais produtiva."

Geeeeeente! E o que é que eu faço com as boas e velhas sinceridade, lealdade, generosidade e espontaneidade, com as quais eu sempre busquei alimentar a minha rede social - que, aliás, tem rendido ao longo dos anos belas ofertas de trabalho, tanto para mim quanto para outros integrantes da minha rede? Vamos combinar que talvez seja bem mais simples seguir a boa e velha máxima cristã que obedece a lei da ação e reação: trate os outros como gostaria de ser tratado. Além, é claro, de manter sempre um olhar curioso sobre a vida e as coisas que nos interessam. Sem regras, sem manuais.


Postado por Cássia Zanon

6 comentários:

  1. A minha mãe sempre me falou pra não me aproximar de pessoas estranhas. :P

    ResponderExcluir
  2. Certas questões simplesmente não são questões técnicas. Ou, como diria Fernando Pessoa através de seu alter ego Álvaro de Campos: "Sou um técnico, mas tenho técnica só dentro da técnica. Fora disso sou doido, com todo o direito a sê-lo. Com todo o direito a sê-lo, ouviram?"

    ResponderExcluir
  3. olha, esse costume - o de me aproximar de gente estranha - eu sou totalmente incapaz de adquirir. imagina, se eu já nao gosto de muita proximidade com gente conhecida, imagina com estranho!

    ResponderExcluir
  4. Eu hoje fui me aproximar de estranhos e deu no que deu...

    ResponderExcluir
  5. Já me aconselharam, sem eu pedir, pra andar só com gente BEM. Bem nascidas? Bem empregadas? Bem falsinhas?
    Fico com quem me trata bem.

    ResponderExcluir
  6. Yara Tropea01/02/2009 15:02

    Poderiam ter escrito: Não faça amigos. Só converse com alguém por interesse profissional. Pode servir pra quem só pensa em trabalho, né?

    ResponderExcluir