O dia se espatifa: Um iate ou dois cachorros?

sexta-feira, 13 de outubro de 2006

Um iate ou dois cachorros?

Com o passar dos anos, adotamos uma postura filosófica em relação aos estragos. (...) Na vida de cão, era comum as paredes terem a pintura arranhada, as almofadas se abrirem e tapetes rasgarem. Como qualquer relacionamente, este tinha seu preço. E acabamos aceitando este preço em troca da alegria, diversão, proteção e companheirismo que ele nos proporcionava. Poderíamos ter comprado um pequeno iate com o que nós gastamos com o nosso cachorro e tudo que ele destruiu. Mas, me pergunto: quantos iates ficam esperando junto à porta o dia inteiro até você voltar?

Li este trecho de Marley & Eu coincidentemente poucos minutos depois de o Márcio e eu reclamarmos do fato de que os nossos sofás e as nossas paredes nunca estão como gostaríamos que estivessem.

6 comentários:

  1. "Mas, me pergunto: quantos iates ficam esperando o dia inteiro até você voltar?"

    minha impressão é de que todos.

    ResponderExcluir
  2. faltou o "junto à porta" ;-)

    corrigi

    ResponderExcluir
  3. se tu morar na beira do mar, dá pra deixar o barquinho na porta dos fundos... dã!

    ResponderExcluir
  4. Os dois dão trabalho e despezas sem fim. O iate vc. pode se desfazer, vender, esquecer, mas um bicho, embora aconteça muito, tem suas implicações. Bicho não é utilitário.
    Todavia aquele verso do Eduardo Dusek: " Troque seu cachorro por uma criança pobre." sempre me deixou indecisa entre um cachorro e uma criança. Ai, o cachorro vc. até pode doar, sem grandes culpas, mas a criança fica mais complicado.

    ResponderExcluir
  5. coincidentemente, cheguei na casa da minha mãe e ela veio, toda feliz, me mostrar um livro que ganhou e estava louca pra ler: Marley & eu... e eu tinha lido o post antes... hehehehe, tive que voltar aqui pra contar :)

    ResponderExcluir