O dia se espatifa: Almôndegas

sábado, 12 de julho de 2008

Almôndegas

Tem palavras da língua portuguesa que adoro desde sempre. Lembro que achava o máximo um disco que uma tia minha tinha quando eu era menina só por causa do nome. E por causa desse disco eu era fã do Kleyton e Kledir. Porque eu achava o m-á-x-i-m-o que eles tivessem feito parte de um grupo chamado "Almôndegas". E quando descobri que as tais bolinhas de carne que a mãe fazia se chamavam assim também, o prato ganhou um sabor ainda mais especial.

Hoje de manhã, foi divertida a cara de estranhamento do moço do açougue do Zaffari quando pedi uma única lingüiça da Borrússia. No carrinho, já estavam o meio quilo de guisado (carne moída) de primeira, a salsa, a cebolinha e o manjericão frescos e a caixa de capellini Barilla. Há horas eu queria fazer uma massa com almôndegas, e a comemoração tardia do aniversário da minha mãe foi uma boa desculpa.

Esta é uma das receitas a que comecei a me dedicar há uns dez anos, depois de experimentar as meatballs feitas pelo meu amigo Juliano Corbellini, com base na receita d'O Poderoso Chefão. No início, eu sempre pesava a mão no ovo ou na farinha ou seguia receitas que, sozinhas, não resultavam no que eu esperava. Com o tempo, a coisa foi tomando forma e, atualmente, depois de muitas adaptações e outro tanto de prática, o prato virou uma das minhas especialidades.

Enquanto começava este post, mais cedo, as almôndegas estavam aquecendo dentro do molho de tomate, à espera das convidadas.  Um dos erros que cometia, aliás, era cozinhar as bolinhas no molho. O melhor é só aquecê-las mesmo. Agora, tudo já foi consumido e apreciado.

Como a maioria das receitas que costumo fazer, esta é bastante simples. A ela, pois.
Almôndegas ao molho de tomate

- 1/2 quilo de carne moída de primeira (é legal pedir para moer na hora)
- 1 lingüiça pequena (eu gosto muito das da Borrússia)
- 1 cebola pequena picada bem fininho ou ralada
- 1 gema de ovo
- 1 colher de sopa de farinha de rosca
- um punhadinho de salsa picada
- outro punhadinho de cebolinha picada
- sal e pimenta do reino a gosto
- 1/2 litro de molho de tomate grosso, temperado a gosto (eu uso azeite de oliva, duas latas de tomates pelados, um dente de alho, uma cebola pequena, sal, pimenta do reino, uma pitada de orégano e outra de manjericão seco)
- um punhadinho de folhas de manjericão fresco

Misturar com a mão a carne com a lingüiça desmanchada, a gema, a cebola, a colher de farinha de rosca, a salsa, a cebolinha, sal e pimenta do reino a gosto. Moldar as almôndegas (eu gosto que fiquem de tamanho médio, feitas com mais ou menos uma colher de sopa cheia de carne) e reservar. Forrar o fundo de uma panela de ferro com azeite de oliva até ficar bem quente e dourar levemente as almôndegas. Virar as bolinhas para dourarem em todos os lados. Feito isso, acrescentar o molho de tomate já quente (quando não dá tempo de cozinhar os tomates e os temperos antes, fazendo um belo molho, uso duas latas ou dois vidros de molho pronto mesmo - o sugo do Pastifício Italiano é uma delícia) e deixar aquecer tudo junto por uns cinco minutos. Pouco antes de servir, acrescentar as folhas de manjericão.

Ah, sim. Esta porção serve quatro pessoas.

Um comentário:

  1. Fabiana Velloso14/07/2008 10:47

    Meu Deus! Tenho que experimentar essa receita. Saiba que você despertou um desejo absurdo em uma grávida que não come carne! Depois eu te conto...hehehe...

    ResponderExcluir